Artigo

07, janeiro de 2021

O protagonismo do PT na Câmara dos Deputados

O Partido dos Trabalhadores possui a maior bancada na atual legislatura da Câmara dos Deputados. Com 52 parlamentares, o partido assumiu uma posição de protagonismo na atual disputa política pela direção do parlamento.

O eixo estratégico assumido pelo partido na escolha do novo presidente da Casa se fundamenta na manutenção da Câmara dos Deputados como reduto da democracia, da Constituição Federal e do combate à ascensão do fascismo no país.

Em tempos de profundos questionamentos sobre a qualidade das democracias representativas no mundo, em especial às suas limitações de interação com os anseios e prioridades sociais, econômicas e políticas dos cidadãos, a atual disputa no parlamento brasileiro evidencia que, em tempos de bolsonarismo, as trincheiras da resistência se organizam em diversas frentes. Uma das mais importantes é a institucional.

O PT, mais uma vez, cumpre sua tarefa histórica de protagonizar decisões estratégicas com base nas lutas do povo brasileiro. Nosso partido toma para si o papel de sujeito político coletivo, atribuição que sempre foi desempenhada com maestria pela legenda em diferentes momentos da história do país.

Precisamos enfrentar o bolsonarismo e todos os seus nefastos desdobramentos, desde a retomada do moribundo neoliberalismo e a retirada sistemática de direitos, até a banalização do mal expressa na apologia à violência, tortura e ditadura. São lutas que carregam consigo a necessidade política de trilhar novos caminhos de diálogo social e institucional para unir amplos setores que vêm atuando nessa batalha de vida e morte da democracia brasileira.

As questões centrais que orientam o PT nessa complexa disputa na eleição da Câmara dos Deputados são: 1) Acesso universal à vacina contra a covid-19; 2) Renda emergencial e/ou a ampliação do Bolsa Família; 3) Geração de emprego e fim do “arrocho salarial”; 4) Segurança alimentar, com apoio à agricultura familiar e assentamentos da reforma agrária; 5) Tributação sobre a renda dos mais ricos; 6) Defesa dos direitos das classes trabalhadoras, com liberdade para organização e modernização de entidades sindicais.

A composição do bloco dos partidos de esquerda, com PT, PDT, PSB e PC do B em apoio à candidatura do deputado Baleia Rossi (MDB-SP) é um exercício político muito importante para estabelecer a máxima da “unidade na ação” que deve referenciar um caminho a ser trilhado rumo às eleições de 2022.

No ano de 2020, tal exercício de união da diversidade, sob a égide do protagonismo do Parlamento frente ao caos bolsonarista, rendeu importantes conquistas ao povo brasileiro, tais como a aprovação do auxílio emergencial no valor de R$ 600,00, o orçamento de guerra para enfrentar a pandemia, a constitucionalização e regulamentação do FUNDEB permanente e a instalação da CPMI das Fake News.

O PT Ceará, mais uma vez, assumiu papel destacado nessa empreitada. Sob a liderança do deputado federal José Guimarães, vice-presidente nacional da legenda e líder da minoria na Câmara dos Deputados, o partido amplia sua capacidade de diálogo e construção do que podemos definir como o exercício de uma Frente Nacional Ampla e Democrática.

Lideranças com essa envergadura, que transitam do local ao nacional, sempre considerando o papel estratégico do PT, assumem papel decisivo na História, principalmente por sua capacidade de construir unidades possíveis com amplos setores da sociedade.

A articulação das diferentes e variadas representações, dos interesses em jogo e das organizações para avolumar as trincheiras dessa verdadeira guerra têm um objetivo claro: exorcizar os demônios do fascismo, do obscurantismo, do caos governamental, do autoritarismo, da pandemia e do neoliberalismo.

Helder Nogueira Andrade é professor, historiador, doutor em Ciências Sociais e secretário de Organização do PT Ceará

Envie um e-mailcontato@professorheldernogueira.com.br

Siga meus perfis
© Copyright 2020. Helder Nogueira. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido com por Boom Marketing e Comunicação